Corpo de jovem de Unaí é encontrado em Belo Horizonte carbonizado; noivo é o principal suspeito

117

Polícia investigava caso como desaparecimento quando encontrou indícios de que mulher vivia relacionamento abusivo. Homem confessou crime.

Foram encerradas as buscas por Fernanda Caetano Vasconcelos de 34 anos que estava desaparecida em Belo Horizonte, desde o dia 24/12/20. Na véspera do natal, familiares não tiveram contatos com ela, que, infelizmente já estava morta, pois o crime se deu dois dias antes, ou seja, no dia 22/12.

A informação foi confirmada por familiares que residem em Unaí-MG, e que se deslocaram até a capital para acompanhar os trabalhos de investigação da polícia, à princípio de desaparecimento. De acordo com familiares, o corpo dela foi encontrado, sepultando assim as esperanças de encontrá-la com vida. Ainda conforme as informações, o suspeito foi preso na manhã dessa quinta-feira, 07/01, e confessou o crime. Trata se do noivo da vítima, de 24 anos.

Ela era estudante de enfermagem. Eles moravam juntos à pelos menos três meses e faziam planos de se casar em breve.

Frieza

De acordo com as investigações, o suposto autor, tentou manipular a imprensa, as redes sociais e a polícia, ao se passar pela vítima depois que ela já estava morta. Desde a dada do crime, ou seja dia 22/12, o whatsapp dela vinha mantendo contatos com a família, em mensagens de texto, menos de voz, o levantou suspeitas de algo estava errado.
A dificuldade da família de encontrar a Fernanda se deu porque autor, demonstrando frieza, dizia aos parentes da vítima que estava tudo bem, mas, o corpo dela já havia sido localizado e se encontrava no IML.

A notícia da morte era verídica

Conforme informações de um familiar repassadas à reportagem da Rádio Veredas, as postagens que circularam nas redes sociais de que o corpo de Fernanda havia sido encontrado eram verdadeiras, mas, para não atrapalhar as investigações, cuja suspeita já recaia sobre o noivo, foram negadas pelos parentes. Familiares de Fernanda relataram a nossa reportagem um pedido de desculpas a população unaiense por desmentirem as informações de que o corpo dela havia sido encontrado, justamente, pelo propósito de buscar justiça com a prisão do suspeito, temendo que ele pudesse fugir.

Requintes de crueldades

Familiares também informaram, que, conforme laudos periciais, o corpo da jovem apresentava três perfurações, sendo: pescoço, na clavícula e no peito. Depois de matar a noiva, o autor tentou queimar o corpo, mas, as chamas não pegaram. A informação consta do laudo pericial, de que o corpo apresentava sinais de queimaduras.

O caso está sendo investigado como feminicídio.