Em ato de irresponsabilidade, prefeito de Riachinho coloca saúde da população em risco ao agir com parcialidade em decreto

2142
Prefeito de Riachinho Liedson Martins - Foto: Portal Iluminar

Ao dar brecha em decreto municipal para realização de evento com grande aglomeração de pessoas, prefeito expõe população ao sério risco de contaminação pelo Coronavírus.

O prefeito de Riachinho, Liedson Martins (MDB), sancionou, nesta sexta-feira (20), um novo decreto em que estabelece novas regras na situação de emergência na Saúde pública do município em virtude da pandemia do novo coronavírus. O documento prevê no período de dez dias a suspensão, até o dia 30, do funcionamento de salões, bares, academias, lanchonetes e comércios similares no município.

Em um movimento de extrema irresponsabilidade, contrariando o pedido dos governo estadual e federal, assim como as recomendações de organizações internacionais, no cancelamento de qualquer tipo de aglomeração, o chefe do executivo decidiu ir na contramão do exemplo aplicado em outros municípios e beneficiou, por meio de ato da administração, a realização do Leilão Misto de Animais, ocorrido no recinto da Tatersal JG Leilões as margens da MG-181, evento que contou com grande adesão de participantes de regiões circunvizinhas, colocando assim, em risco a saúde dos moradores do município em que administra com situações propícias a contaminação do COVID-19.

Mesmo diante de pandemia, prefeito abriu brecha em decreto permitindo a realização do evento.

Em um ato inconsequente, o gestor municipal, que deveria pregar contra a concentração de pessoas, determinou, por meio de decreto, que a proibição da realização de leilões só entraria em vigor a partir das 0h do dia 21/03, o que favoreceu aliados e organizadores na realização do evento e demonstrou o descaso e a irresponsabilidade ao expor a população ao sério risco de contaminação pelo Coronavírus. 

A atitude do político pode ser considerada como um atentado à saúde pública em meio a um cenário delicado com o avanço acelerado de casos suspeitos e confirmados do novo coronavírus (COVID-19) a cada minuto, que demonstra uma crise de Saúde sem precedentes.  A gravidade da pandemia, neste momento, exige responsabilidade e união de todos.

Confira o decreto

Por Gustavo Oliveira