Dupla de estelionatários se passa por funcionários do Estado para aplicar golpes em trabalhadores rurais em Minas Gerais

38
Foto: PMMG

Flagrante aconteceu em Chapada Gaúcha; indícios apontam que os criminosos fizeram mais vítimas no norte e noroeste do Estado de Minas Gerais

Uma dupla de estelionatários foi presa pela Polícia Militar no município de Chapada Gaúcha na última quarta-feira, 24 de novembro, suspeita de aplicar golpes em trabalhadores rurais se passando por agentes do Estado de Minas Gerais. Para convencerem as vítimas, os homens usavam um veículo plotado com o emblema do Governo Estadual. Indícios apontam para a atuação dos meliantes na região onde João Pinheiro está inserida.

Segundo informações da Polícia Militar apuradas pela equipe de reportagem do JP Agora, policiais militares da cidade de Chapada Gaúcha receberam informações dando conta de que dois homens estariam utilizando um veículo supostamente oficial da frota do Estado de Minas Gerais para oferecer, gratuitamente, propriedades rurais a trabalhadores. Os suspeitos ofereciam, ainda, a liberação de crédito fundiário mediante contribuição de R$130,00 (cento e trinta reais) por pessoa.

Ainda de acordo com o apurado pelo site JP Agora, os homens prometiam incluir as vítimas na Associação Terra Prometida Nova Aliança. Para isso, exigiam a contribuição de R$130,00 (cento e trinta reais) com a promessa de entregar terras em local ainda não definido, além do crédito fundiário. Então, de posse de todas as informações, uma guarnição se dirigiu até o local onde os supostos atendimentos aconteciam, onde os suspeitos foram encontrados.

No local, os militares se depararam com um escritório improvisado na varanda de uma casa. O veículo, uma GM Montana com adesivos da frota do Estado de Minas Gerais, também estava no local. Os suspeitos, de 51 e 52 anos, foram questionados acerca do que estavam fazendo.

Para os militares, segundo as informações apuradas pelo JP Agora, a dupla relatou que estavam cadastrando candidatos para participarem de um projeto, com proposta de crédito fundiário “Terra Brasil”, do Governo Federal. Contudo, negaram que exigiam pagamentos dos trabalhadores, mas confirmaram que recebiam dinheiro deles a título de doação para custear gastos. Os homens contaram, ainda, que fizeram as fichas com brasões da República Federal e do Governo Federal com a intenção de que parecessem com um documento oficial.

Quanto ao veículo, a dupla contou que o recebeu de uma doação do Governo Estadual anterior e a associação fez a plotagem em 2017, permanecendo assim desde então. Realizadas buscas no local, os policiais militares encontraram R$410,00 (quatrocentos e dez reais) em dinheiro, um notebook e 569 fichas já preenchidas.

Testemunhas relataram para a Polícia Militar que os homens teriam feito estas reuniões em outras cidades do interior de Minas Gerais, como Bonito de Minas, Pintópolis e outros municípios do Norte e Noroeste, região na qual João Pinheiro está inserida. O JP Agora buscou informações a respeito do tema com trabalhadores rurais de João Pinheiro, mas, até então, nenhuma informação a respeito da atuação dos indivíduos na cidade foi denunciada.

Os homens foram presos por estelionato, fraude e falsidade ideológica. Eles foram conduzidos para a Delegacia de Polícia Civil de Unaí com o material apreendido. O veículo estava com a documentação do ano de 2019, registrado em nome da Associação Terra Prometida Nova Aliança, foi removido ao pátio credenciado pelo Detran/MG.

Com informações de JP Agora